O Movimento Negro Unificado juntamente com o Coletivo Nacional de Juventude Negra (Enegrecer) e o Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (Cedeca) se unem ao deputado estadual Zé Roberto (PT) para realizar nesta quinta-feira, 30, uma audiência pública para debater o Genocídio da Juventude Negra no Estado do Tocantins, como estratégia de denúncia e proposição de políticas públicas para juventude negra.

A audiência, que será realizada pela Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, acontece no plenarinho da Assembleia Legislativa do Estado, a partir das 14 horas.

Dados do Sistema Nacional de Mortalidade (SIM/Datasus) do Ministério da Saúde mostram que mais da metade dos 56.337 mortos por homicídios, em 2012, no Brasil, eram jovens (30.072, equivalente a 53,37%), dos quais 77,0% negros (pretos e pardos) e 93,30 % do sexo masculino.

O genocídio da juventude negra, denunciado no mapa da violência, também tem atingido diretamente adolescentes e jovens negros do Estado do Tocantins. Em Palmas, de 2014 a 2017, o serviço de acompanhamento de adolescentes em liberdade assistida e prestação de serviço à comunidade registrou 15 mortes de jovens negros, ocasionadas por homicídio. Na mesma cidade, o conselho tutelar também publicizou em evento que 09 adolescentes negros foram vítimas de homicídio de 2014 a 2017.

“A audiência pública é um espaço adequado, de participação popular, de controle social, para que se possam ouvir as partes, as sensibilidades, as propostas, trazer visibilidade para a questão e cobrar políticas focadas nesses públicos e territórios", afirmou Zé Roberto. (Da Dicom, com informações da assessoria de imprensa do deputado)