O presidente da Assembleia, Mauro Carlesse (PHS), recebeu no final da tarde desta quarta-feira, 21, avicultores de Paraíso do Tocantins, que enfrentam dificuldades em relação à criação e comercialização de frangos. Segundo eles, isso está ocorrendo por causa do fechamento da Frango Norte.

De acordo com o representante da Associação dos Avicultores Centrais (AACT), Joselino Rodrigues, 50 produtores da região estão com suas propriedades penhoradas pelo Banco da Amazônia e sem condições de trabalhar por ter sido fechada a Frango Norte.

Uma das consequências do encerramento do abatedouro, segundo Joselino, é o desemprego, já que o setor gerava cerca de três mil empregos, diretos e indiretos, em Paraíso e região, que tem 98 aviários e produção aproximada de 30 mil aves.

Apoio

Durante o encontro eles pediram ao presidente da Assembleia a mediação junto ao Banco da Amazônia. “Hoje o Basa está executando individualmente os avicultores que têm dívidas com a instituição. O que nós precisamos é prorrogar essa dívida e, ao mesmo tempo, que seja viabilizada a sustentabilidade ao mercado”, explicou Rodrigues.

Empenho

No final do encontro, Carlesse garantiu aos avicultores que fará todo o possível para tentar sanar o problema. O primeiro passo, segundo ele, será expor a situação aos demais deputados. “Além disso, vamos requerer ao Basa, em nome da Associação, que renegocie essas dívidas”, adiantou, acrescentando que o setor é responsável por gerar emprego e renda para os paraisenses, e arrecadação para o Estado. (Rubens Gonçalves)