A audiência pública realizada na manhã desta terça-feira, dia 27, na Comissão de Desenvolvimento Rural, Cooperativismo, Ciência, Tecnologia e Economia, abordou o programa da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), que dispõe sobre a retirada da vacinação contra febre aftosa no Estado. Discutiu também providências que deverão ser tomadas pelo órgão para preparar produtores em relação às mudanças e inclusão em novos mercados.  

Presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha destacou que o Tocantins é um Estado livre da febre aftosa há 20 anos, mas, para avançar na Política de Defesa Sanitária e conquistar novos mercados, precisará promover algumas alterações na comercialização da carne e rebanho.

A proposta é retirar a vacinação e preparar os produtores a novas normas de inspeção sanitária no trânsito de animais para os Estados do Pará e Maranhão. Durante um ano, entre 2020 e 2021, o rebanho do Tocantins contará com restrições no trânsito aos Estados mencionados, bem como na comercialização de animais e produtos derivados da carne bovina.

A deputada Valderez Castelo Branco (PP) questionou as restrições na comercialização com estados vizinhos e considerou precipitada a retirada da vacina. Diretor de Sanidade Animal da Adapec, Francisco Ramos explicou a necessidade da garantia de segurança sanitária e qualidade ao rebanho, e apontou benefícios da erradicação da doença sem a vacinação, como a conquista de novos mercados que exigem melhor padrão de qualidade, bem como o avanço na comercialização com os estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás.

Alberto Mendes ressaltou que o apoio e a parceria da Casa são muito importantes no processo de adaptação do Estado e para preparar empresas e produtores às mudanças na comercialização. A Adapec terá um ano para promover as adequações.

Para afinar o debate, o presidente da entidade anunciou que o órgão realizará no próximo dia 13, no Palácio Araguaia, um seminário com a cadeia produtiva para discutir o programa. O deputado Zé Roberto (PT), por sua vez, considerou positiva a iniciativa de discutir projetos com os parlamentares, e concordou que o Tocantins precisa avançar na conquista de novos mercados para aquecer a economia e permitir que suas empresas promovam mais emprego e renda ao povo.

Técnico responsável pelo programa de erradicação da febre aftosa, João Eduardo Pires enfatizou que a intenção da Adapec é esclarecer todos os questionamentos relativos à retirada da vacina do Estado. Também se pretende ajudar na adequação das empresas para que o Tocantins evolua no mercado e satisfaça às exigências dos outros estados no que se refere à sanidade e ao padrão de qualidade da carne e seus derivados. (Maisa Medeiros)