Na sessão inaugural da 9ª legislatura, realizada na tarde desta terça-feira, 5, os deputados ouviram a leitura da mensagem do governador Mauro Carlesse (PHS) pelo secretário-chefe da Casa Civil, Rolf Vidal, conforme determinado pela Constituição do Tocantins.

Ao expor a “objetiva situação do Estado”, o secretário disse que os gastos com a folha estão desenquadrados desde 2013, com exceção do ano de 2016, em razão de receitas extraordinárias advindas da Lei de Repatriação, que regularizou recursos no exterior em pendências com o Fisco.

Vidal citou ainda o esforço do Grupo de Gestão, que reduziu em R$ 328 milhões o custeio da máquina com o enxugamento da estrutura do Executivo e revisão do uso de veículos, prédios e compras.

Porém, o secretário advertiu que as providências de 2018 não são suficientes para evitar a calamidade financeira decretada em outros estados, situação que leva ao atraso e parcelamento do salário de servidores, por exemplo.

Foi então que Vidal mencionou três medidas provisórias enviadas à Assembleia Legislativa. Ao recuperar a capacidade de investimento, o governo poderá, conforme o secretário, concluir as obras dos principais hospitais da rede de saúde, em Palmas, Araguaína e Gurupi, além do programa SOS Estradas para, por exemplo, os trechos entre Porto Nacional e Brejinho de Nazaré, Araguaína e o distrito de Novo Horizonte, e para a TO 500, apelidada de Transbananal. (Glauber Barros)