Servidores da Assembleia levam mensagens de esperança a pacientes do Hospital de Amor

Por Rubens Gonçalves
14/10/2021 16h47 - Publicado há 3 dias
Servidores da Assembleia Legislativa
Servidores da Assembleia Legislativa
Koró Rocha / HD

“Uma celebração à vida e ao amor”. Assim João Vitor Lopes dos Santos, médico do Hospital de Amor de Palmas, definiu a visita realizada ao local, na tarde desta quarta-feira, 7, por cerca de 40 servidores da Assembleia Legislativa. 

Durante a visita, os servidores compartilharam suas experiências no tratamento do câncer, com os profissionais e pacientes: tanto na unidade de Palmas quanto na de Barretos (SP). O grupo atua de forma voluntária pela construção e manutenção do hospital. 

Além da doação e a realização de eventos com vistas à arrecadação de fundos para a instituição, os voluntários levam palavras de amor e esperança aos pacientes. De acordo com a neurociência, esses gestos contribuem para melhora significativa do estado emocional dos pacientes, afetando diretamente o seu sistema imunológico e, consequentemente, provocando melhorias no seu quadro de saúde.

Emoção

O encontro desta quarta-feira emocionou não apenas os pacientes, mas também os profissionais da saúde que atuam no Hospital. “Da minha parte, me causou um grande impacto. Afinal, mais do que fazer diagnóstico de câncer, nós estamos aqui como uma grande família, porque os nossos pacientes não são clientes, eles são companheiros, que podem contar conosco nessa jornada”, descreveu Santos.

Virgínia Andrade, esposa do presidente da Assembleia, Antonio Andrade (União Brasil), é uma das voluntárias. Para ela, que já teve um caso de câncer na família, não há dúvidas de que o acolhimento é fundamental no processo de recuperação dos pacientes.

“A ajuda financeira é indispensável para a manutenção do trabalho desenvolvido nas unidades dos hospitais de amor, mas o que este grupo realiza, consiste também em compartilharmos com aqueles que estão em tratamento, nossas experiências, isto é, mostrarmos para elas que, pela graça de Deus, nós vencemos e elas também podem vencer”, concluiu Virgínia.