AL poderá ter frente parlamentar de indústria, comércio, turismo e atração de investimentos

Por Dicom - com informações da assessoria
21/03/2019 16h03 - Publicado há 3 meses
Proposta é de autoria de Olyntho Neto
Proposta é de autoria de Olyntho Neto
Dicom AL / HD

O deputado estadual Olyntho (PSDB), apresentou nesta quinta-feira, 14, na Assembleia Legislativa a proposta da criação da Frente Parlamentar de Incentivo a Indústria, Comércio e Atração de Investimentos para o Estado do Tocantins. O objetivo do parlamentar é criar uma frente envolvendo os deputados para que a Casa de Leis do Tocantins possa discutir e debater o tema. O requerimento teve aval da maioria dos deputados.

"É um setor altamente importante para a economia e o desenvolvimento do Estado merece a defesa dos parlamentares", justificou o parlamentar.

A Frente Parlamentar será suprapartidária e atuará em defesa de medidas de incentivo, fomento e apoio a vinda de investidores para o Estado. O tucano quer atuar em defesa ao acesso de novos empresários e representantes.

O deputado Issam Saado (PV), empresário tocantinense, destacou que tem compromisso desde sua campanha de atuar pela industrialização do Estado. “É uma preocupação minha desde sempre, compromisso meu de campanha trabalhar pela industrialização do Estado e vejo como muito positiva a iniciativa da Assembleia em criar a frente parlamentar nesse sentido. Com certeza irei contribuir, junto com os demais parlamentares, com o Estado, empresários e o povo para desenvolver o Tocantins”.

Olyntho ainda ressaltou que o tocantinense não pode ficar refém de ter o Estado como principal empregador. “É também uma questão social”. Ele explicou que a proposta pretende ainda, articular e integrar as atividades do Governo com a iniciativa privada. “Vamos trabalhar junto com as ações do Governo, de setores produtivos e da sociedade civil, além de propor ações e medidas legislativas que beneficiem o crescimento do comércio e da indústria, para garantir melhores condições de atuação no mercado, gerando emprego e renda a população”. (Dicom/Assessoria)