Ivory defende discussão do Orçamento com participação dos poderes

Por Ascom deputado Ivory de Lira
19/12/2019 15h18 - Publicado há 3 meses
Deputado Ivory de Lira discute orçamento
Deputado Ivory de Lira discute orçamento
Ascom deputado Ivory de Lira / HD

Na votação do orçamento de 2020, na semana que encerrou o exercício 2019 do Legislativo Tocantinense, o deputado Ivory de Lira defendeu que a partir do próximo ano a distribuição de recursos entre os poderes seja discutida com os representantes das instituições com antecedência.

Para o parlamentar é preciso debater a questão financeira do Estado de forma integral, o que inclui os orçamentos para todos os órgãos da administração direta e indireta, incluindo os três poderes.

“Fui vereador em Palmas por mais de duas décadas e a pauta, ao longo desses anos, foi discutindo custeio. Agora, aqui na Assembleia Legislativa, a pauta continua a mesma”, observou o deputado Ivory.

A preocupação do parlamentar se fundamenta principalmente na distorção das carreiras entre os poderes. “O que acontece é que servidores de determinadas categorias com representatividade forte se organizam, defendendo seus interesses, o que causa diferenças conflitantes de salários para as mesmas funções, quando comparados os servidores lotados em poderes diferentes”, avaliou.

“Vamos comparar um motorista do quadro geral, que entrou no primeiro concurso do Estado do Tocantins, com quase 30 anos de serviço recebe de salário R$ 2.370,00, enquanto em outros órgãos, nas mesmas condições, estes servidores têm salários que variam entre R$ 12 mil e R$ 15 mil, comparou o deputado.

Ivory de Lira afirmou que é preciso trazer à discussão os direitos dos servidores de categorias que se encontram com salários defasados. “O Poder Legislativo precisa ser justo quando trata desta questão salarial”, disse.

O deputado lembrou que a questão das reposições têm que levar em consideração o custo da máquina pública e tomo como exemplo a área da Saúde no Estado, que atualmente teria cerca de 85% de seu orçamento comprometido com a folha de pagamento, restando em torno de 15% para aplicação na Saúde.

“Não sobra recursos para insumos; muitas vezes se tem o hospital, o médico, a enfermeira, o leito e não tem o dinheiro para comprar uma prótese de R$ 2 mil. Ai o paciente fica por meses esperando por uma cirurgia”, exemplificou.

Ele lembrou também sobre o comprometimento do Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins (Igeprev), que precisa ter saúde financeira em ordem para garantir a aposentadoria dos inativos. “O déficit do Igeprev hoje é muito alto e é preciso rever isso, se não lá na frente esta situação terá consequências mais sérias”, alertou o deputado Ivory de Lira.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...
MAIS NOTÍCIAS